Proteção Animal, Receitas Veganas e Vegetarianas, Direitos dos Animais

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Você sabe ajudar um cãozinho ferido?

Informação e atitude podem salvar a vida dos animais

Poucos se comovem ao ver um animal ferido e menos pessoas ainda se mobiliza para socorrê-lo. Para algumas pessoas, tentar salvar um animal vítima de atropelamento pode parecer complicado. O veterinário Guilherme Rodrigues explica que a pessoa não deve tocar no animal porque pode acabar prejudicando-o por não saber se há fratura.

“O certo seria a pessoa contatar serviços veterinários para o pronto atendimento no local, repassando as condições desse animal. Porém, devido à falta de ambulâncias ou veículos especializados para o resgate, a pessoa deve recolher o animal e colocá-lo em algo plano, movendo o animal o mínimo possível. Deve deixá-lo na posição que estiver e encaminhá-lo a uma clínica ou hospital veterinário”, afirma.

Ao abordar o animal, orienta, as pessoas devem ter cuidado para não serem mordidas ou entrarem em contato direto com o animal. Por conta dos ferimentos, dor e medo, pode morder e transmitir alguma doença. De acordo com a vice-presidente da Organização Não Governamental (ONG) S.O.S. Vira-Lata, Janaína Marques, quando alguém ver um animal atropelado é preciso ter atitude. “Salvar um animal é questão de minutos, e muitas pessoas têm medo de gastar dinheiro com o salvamento. O tratamento para um animal atropelado não é tão caro. As pessoas têm que entender que o animal sofre e sente dor”, reforça.

Quem precisar de ajuda para pagar as despesas com a clínica veterinária, pode, segundo a voluntária, contar com o apoio da ONG. “Depois de levar o animal para a clínica, quem precisar de ajuda financeira, pode fazer uma vaquinha no serviço, pedir ajuda aos amigos ou ainda bater foto do animal e postar no Facebook da ONG que a gente faz uma campanha pra conseguir pagar o tratamento dele”, explica Janaína.
Mesmo sem sede, a SOS Vira-Lata arca com os custos dos animais acolhidos. As despesas geralmente são pagas pelos próprios voluntários. Ajudas são sempre bem-vindas. 

Os interessados em ajudar, podem doar ração, remédios ou outras coisas que possam ajudar no cuidado desses animais, podem entregar aos próprios voluntários. Quem quiser contribuir financeiramente, pode depositar na conta da ONG.

- Banco do Brasil Agência 3420-7
- Conta 100.392-5
- CNPJ 11.825.120/0001-44

 
Colaboração: Adriano Vizentin, Bruna Mendes e Jéssica Rosso/Assessoria voluntária

Nenhum comentário: