Proteção Animal, Receitas Veganas e Vegetarianas, Direitos dos Animais

sexta-feira, 3 de julho de 2015

E aí você pensa que seu cãozinho está ficando surdo...

A surdez canina pode surgir a partir dos 7 anos de idade, quando os nossos amigos caninos começam a ficar idosos.
Segundo alguns profissionais, a infecção no ouvido/otite mal tratada pode levar à surdez, por isto é tão importante a atenção dos tutores em relação à saúde de seus pets.
Há pouco tempo, uns 4 meses, me deparei com esta situação aqui em casa e me APAVOREI! Meu pequeno Flash, um lhasa apso de aproximadamente 10 anos - resgatado da rua há 8 anos, começou a não atender quando o chamávamos. E a culpa veio a galope! Afinal li na internet que a negligência dos tutores pode contribuir para que tudo isto aconteça.
Tratamos para otite várias vezes, entretanto a doença sempre retornava. Na última vez, usamos Easotic, uma das medicações mais eficazes para o problema. Após 7 dias de tratamento, persistia a secreção. Procuramos outro veterinário e aí veio o alívio! Flash não tem nenhuma perfuração do canal auditivo, o que minimiza muito as  consequências.
Ele esclareceu que a surdez tem como primeira causa a idade e não a otite. E ele foi categórico! com exemplos sérios. Se otite causasse surdez, pura e simplesmente, a raça Cocker seria surda desde sempre, pois convive com problemas no ouvido em função de suas orelhas compridas. Outro detalhe é que somente os tutores podem perceber a surdez no cão, quando não atende ao chamado de seu amigo humano.
Fiquei pensando se não seria o banho que poderia gerar a otite, mas aí Dr. Ricardo desfez o mito. Se fosse banho o problema, os cães que nadam, que participam de fotos aquáticas seriam fortes candidatos a estarem sempre com problemas nos ouvidos, já que entra água direto.
Alguns cães têm a cera de má qualidade, o que faz proliferar as bactérias no ambiente, tornando-o propício à otite. E este é o caso do nosso Flashinho. Então, o que fazer nestes casos? A sugestão foi terminar o tratamento com Easotic e fazer um tratamento profilático, ou seja, preventivo.

Toda semana, antes do banho, colocar 8 gotas de uma solução para higiene da orelha, eu uso Epiotic Spherulites. 
 
 
 
 
Depois do banho, colocar 8 gotas de Auritop (gel otológico, anti-inflamatório, analgésico, antibacteriano e antimicótico). A medicação pode variar de acordo com o que o animal já usou, consulte o veterinário.


Bom, o fato é que o Flash voltou a nos ouvir após 2 semanas de medicação profilática..eba!!!!. Antes ele estava ouvindo somente sons como motos, latidos de cães ao longe, o que se explica por ouvirem na frequência de ultrassom.

Algumas dicas para você detectar a perda de audição no seu cãozinho:
  • Latidos em excesso e/ou sem propósito.
  • Não atende quando é chamado.
  • Indiferença aos sons do ambiente: não demonstra interesse em brinquedos que façam barulho.
  • Pode dormir demais (principalmente se for idoso) e não acorda mesmo quando tiver um barulho alto.
  • Pode coçar ou mostrar-se incomodado quando tocado nos ouvidos, principalmente quando se trata de otite, que pode vir acompanhada de um cheiro ruim.
No mais, boa sorte e esteja atento ao seu amigo peludo! Lambeijokas!

Um comentário:

Claudia Schüler disse...

Obrigada pelas preciosas dicas, Fátima.
Lá em casa, custei a perceber que o Gyss estava cego, pois como está habituado com a casa se desvia de tudo com destreza. Mas, quando o levei no veterinário percebi que foi andando na direção da parede do consultório e deu uma cabeçada. A Dra. Si me explicou que, devido ao adiantado da idade (17 anos), o Gyss está praticamente cego. Agora, cuidados redobrados, pois não há o que fazer com o meu veinho. Abraço.