Proteção Animal, Receitas Veganas e Vegetarianas, Direitos dos Animais

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Domingo com Cinema: Os filmes fofos (e outros nem tanto) sobre os animais

Não posso deixar de comentar que, embora tão antigos os filmes, vemos ainda hoje os mesmos problemas relacionados aos maus tratos aos animais.
O filme mais antigo listado aqui é de 1946! Vejam há quanto tempo este assunto vem sendo discutido e como a evolução positiva na solução destas questões é lenta. Já existe a lei, já existem inúmeros grupos de proteção animal, mas infelizmente ainda impera o sofrimento animal. Imperam testes em animais! Esperemos que as novas gerações sejam mais evoluídas e mais solidárias.
Quem sabe através de filmes e livros, as crianças e os adolescentes possam perceber o sofrimento destes anjos peludos e possam fazer a diferença em suas vidas no futuro?
Vamos divulgar esta ideia?! Fátima Cócaro

Para ver: seis filmes com mensagens secretas sobre direitos animais

O filme icônico “Babe, o Porquinho Atrapalhado” fez com que muitas pessoas pensassem duas vezes antes de comer bacon, incluindo o ator principal do filme, James Cromwell, que virou vegano pós a gravação do filme. Enquanto “Blackfish” mostrou para os adultos os males de manter baleias em cativeiro, “Free Willy” passou uma mensagem similar para as crianças. “Bambi” foi para muitos o primeiro filme que mostrou a morte de um animal – ainda mais uma mãe – e discutiu sobre a caça. Entre as comédias, “Legalmente Loira 2″ traz à tona a questão dos testes de comésticos em animais. Temas pró-animais aparecem despercebidos em muitos filmes. Abaixo você confere uma lista feita pelo One Green Planet com oito filmes que trazem mensagens de direitos animais.

FernGully – As Aventuras de Zack e Crysta na Floresta Tropical (1992)


Embora normalmente caracterizado como um filme ambientalista, este sucesso dos anos 1990 tem um personagem importante que exemplifica os problemas dos testes em animais: Batty, um morcego que tinha sido explorado em laboratórios dublado pelo falecido Robin Williams.
“Fritaram meu cérebro, eu fui eletrificado, infectado, dissecado e alimentado com pesticidas”, canta Batty quando ele conhece as fadas e outros animais, que perguntam sobre o parafuso em sua cabeça.
No vídeo abaixo, você pode ouvir Robin Williams cantando uma parte da canção que foi retirada do filme, no qual ele conta os detalhes de seu abuso. A mensagem é clara: os animais são aterrorizados e sofrem com os testes.


A Dama e o Vagabundo (1955)


Além da cena icônica de romance desse desenho animado – em que os personagens principais comem spaghetti juntos, há uma outra cena clássica, que acontece em um abrigo de animais e ilustra muito bem a situação real de cães em abrigos.

“A Dama e o Vagabundo” é uma homenagem aos milhões de animais que são induzidos à morte em abrigos a cada ano, porque as pessoas compram os cães de criadores, em vez de adotar, ou deixam de castrar seu animais. Em uma cena, vemos um cachorro chamado Nutsy sendo levado pelo corredor em direção a uma sala que diz “Keep Out”. Assim como cães reais em abrigos reais, Nutsy fica animado, porque ele acha que finalmente será libertado. No entanto, assim como acontece na realidade, sem saber, Nutsy caminha para a morte, porque ninguém o quis.



Dr. Hollywood – Uma Receita de Amor (1991)

Nesta comédia romântica, Michael J. Fox vira vegetariano para impressionar uma garota vegetariana: um movimento clássico. Ele mostra que suas intenções são verdadeiras quando salva um porco de ser esquartejado no final do filme.
No filme, Lou, a garota que ele tenta impressionar, chega a sabotar uma caçada urinando em um local para “assustar o cervo”.


Voando Para Casa (1996)
Este filme sobre uma menina que resgata gansos órfãos – e os ensina a voar – é claramente pró-animais. Mesmo no trailer, a pouco, a protagonista – interpretada por Anna Paquin – é vista se recusando a deixar um fiscal cortar as asas de seu precioso bando. O guarda tenta cortar as asas de um ganso para não deixá-lo voar, o que manda a lei para pessoas que queiram manter aves domésticas, mas Amy reage e bate em sua cabeça com uma tigela de pipoca. Jeff Daniels, como seu pai, expulsa o fiscal, porque ele sabe que, quando feridos, os animais sofrem tanto quanto os humanos.


O Estranho (1946)

Este filme noir em preto-e-branco foi feito pelo famoso diretor e ator Orson Welles, logo após a Segunda Guerra Mundial, e fala sobre um nazista que se esconde em uma pequena cidade da Nova Inglaterra. Na história, um cachorro morre, assassinado pelo nazista e é considerado pelo detetive que investiga o caso como um homicídio. Quando o jovem que encontrou o animal sem vida pergunta ao detetive, “O que diz a lei sobre este tipo de crime? É o mesmo que matar um homem?” O detetive responde: “Devia ser. É tão ruim quanto.” Para 1946, esta declaração é uma declaração corajosa em direção à empatia com os animais.


101 Dálmatas (1961)


Com seu cigarro longo, seu cabelo insano e um mau comportamento, Cruela De Vil caça os filhotes de cachorro para vestir suas peles. O filme lembra um fato importante: a pele que vem de raposas, coelhos ou martas, poderia muito bem vir de cães – todos eles são seres sencientes que se sentem dor e medo.

Fonte: http://goo.gl/hJzL8B

Nenhum comentário: